comexblog.com
DropShipping na Importação

DROPSHIPPING NA IMPORTAÇÃO: 05 PERIGOS REAIS

Eu sempre me posicionei contra o DropShipping na importação por entender que o comércio exterior brasileiro requer controle estatal em alta dose.

Antes de tudo, apesar de não concordar, preciso deixar claro, sem rodeios: a operação não é crime no Brasil, e tem muitos empresários, de pequeno porte, trabalhando nesta modalidade.

Mas eu não considero que trabalhar com DropShipping seja uma modalidade de importação empresarial, segura, lucrativa e duradoura.

E vou explicar o porquê neste artigo.

Os defensores do DropShipping na Importação alegam que compensa, é um ramo lucrativo e seguro para quem está no começo da jornada importadora (e até aqueles que já estão estabilizado). Porém, em uma análise mais profunda, principalmente sob a ótica operacional e burocrática junto aos órgãos fiscalizadores, eu tenho uma opinião diferente.

A princípio, você pode conhecer gente que ganha dinheiro com isto, mas o que pretendo mostrar são os riscos de se importar no Brasil por esta modalidade, principalmente para o consumidor final. 

Sobretudo, é sobre ele que recairá todos os problemas possíveis. Vamos lá.

O QUE É O DROPSHIPPING NA IMPORTAÇÃO?

É uma modalidade de comércio eletrônico, em que o seu estoque não está no Brasil, e sim nas mãos do fornecedor no exterior.

É muito comum em pequenas importações da China, em sites como o Aliexpress, em que você faz o papel de intermediário.

Na prática, você se monta um e-commerce para a venda de produtos importados, por meio de uma plataforma virtual (que hoje já existem integrações diretas com sites chineses), e quem se encarregará de enviar o produto é o fornecedor na China.

É uma técnica avançada de venda sem estoque próprio.

COMO FUNCIONA O DROPSHIPPING NA IMPORTAÇÃO?

Tudo que você precisa fazer é montar um site, integrar com um marketplace chinês (Aliexpress, por exemplo), e investir na divulgação do seu e-commerce.

A operacionalização acontecerá por conta desta integração, hoje muito comum em diversas plataformas, e a cada venda, este pedido será encaminhado ao fornecedor, que se encarregará de enviar a mercadoria diretamente ao cliente comprador.

O cliente faz um pedido do produto ou serviço no e-commerce como intermediador de negócios, que encaminha automaticamente o pedido do cliente para o fornecedor de DropShipping.

Além disso, quanto maior o nível de integração e uso da tecnologia para automação, menor o risco de falhas no processo.

Mas se é simples, porque eu não acho que é viável e duradouro como um negócio de importação empresarial?  É o nosso próximo tópico.

PERIGO 01: OS RISCOS ADUANEIROS DA IMPORTAÇÃO

Antes de falar das vantagens (sim, ela existe), eu preciso falar dos riscos operacionais, aduaneiros e cambiais, que são relevantes, e podem levar o seu negócio para o brejo.

Dos problemas mais comuns que identifiquei em uma operação de DropShipping na importação, principalmente para quem deseja ter um negócio viável, duradouro e lucrativo, o mais primeiro mais relevante está na liberação alfandegária no Brasil.

Quando alguém compra um produto em um site hospedado no Brasil ou no Exterior, o principal atrativo é o preço. 

E em muitos casos, não é dito claramente para este consumidor, que ele pode ser tributado em 60% de Imposto de Importação, além do ICMS que pode variar entre 17% e 25% do preço aduaneiro (mercadoria + frete internacional).

Do mesmo modo, esta tributação adicional não tira a viabilidade financeira da importação, mas já é uma quebra de confiança entre as partes. 

O Consumidor Final, na maioria das vezes, acredita que aquele preço já é com entrega, e que ele não terá nenhum outro valor a pagar, ou problema para resolver.

Isto se resolveria com uma informação detalhada no site, explicando a forma como a tributação acontece, mas nem sempre isto é dito. 

E o pior, este valor adicional pode causar uma insatisfação no comprador, e ele poderá usar o direito de arrependimento previsto no Código do Consumidor, e o prejuízo será amargado pelo intermediário (o dono do DropShipping).

PERIGO 02: OS RISCOS CAMBIAIS DA IMPORTAÇÃO

O segundo problema, em escala de importância na minha visão, é o cambial.  Vi poucos abordando esta preocupação quando falam do assunto, mas ela deve estar no centro das atenções, tanto para quem compra quanto para quem é o intermediário.

Você que tem um DropShipping na importação irá receber os valores em reais, aqui no Brasil, e remeterá o pagamento ao fornecedor Chinês.

Isto pode ser feito por um meio simples de pagamento (hoje no Pix), mas de qualquer forma está pagando por uma importação.

E acredite, estas informações são informadas ao Banco Central, que lá registra os seus pagamentos ao exterior (mesmo que pagando no Brasil), e que uma importação deverá acontecer no prazo de até 180 dias.  Em termos técnicos, você está fazendo um pagamento antecipado.

Neste sentido, não será o dono do DropShipping na Importação quem irá receber a mercadoria lá na frente.  Ou seja, você faz um pagamento antecipado e não recebe a mercadoria.  Há um ´alarme´ para as autoridades aduaneiras e cambiais de que você não completou o ciclo da operação (que acontece quando recebe a mercadoria em seu nome.

PERIGO 03: OS RISCOS TRIBUTÁRIOS DA IMPORTAÇÃO

Além dos problemas aduaneiros e cambiais, vai ser preciso declarar, por parte daquele que é dono do negócio, este dinheiro recebido para as autoridades tributárias (Municipal, Estadual e Federal).  Vai precisar de uma boa contabilização, para saber qual tributo recolher (ISS, ICMS ou IR/CSLL).

Para quem está comprando, o seu CPF será lançado na Receita Federal como importador daquele produto.  Neste momento, as autoridades aduaneiras não estão preocupadas como o pagamento foi feito, e sim com o cumprimento das regras aduaneiras.  Existe a possibilidade da sua carga ser ou não fiscalizada, mas isto não pode ser comemorado. 

PERIGO 04: A REVISÃO ADUANEIRA NA IMPORTAÇÃO

A legislação aduaneira prevê que qualquer importação pode voltar a ser fiscalizada no prazo de até 5 anos. 

Como isso acontece, você deve estar me perguntando, se a carga foi liberada, entregue a você e até consumida/revendida?

Bem, tudo é feito a partir do que foi declarado. O destinatário final (o cliente do DropShipping) é obrigado a informar todos os dados como eles aconteceram, e lá na frente estas informações serão utilizadas na revisão aduaneira.

E qualquer item não explicado corretamente passará pela análise da autoridade aduaneira, e por presunção, o que ele determinar, será aplicado.

Ele identificou algum descaminho ou suspeita de contrabando?  Fará um auto de infração e aplicará a sanção.

E isto acontece com frequência?  Bem, não posso afirmar que sim, ou que não, mas o ponto aqui é que um negócio duradouro, lucrativo e seguro tem de prever estes possíveis problemas em seu modelo de negócio.

Nesse sentido, o consumidor que foi obrigado a passar por isto, não ficará satisfeito e poderá acionar a justiça para reparar os prejuízos causados.

PERIGO 05: O DIREITO DE ARREPENDIMENTO NA IMPORTAÇÃO

O Código de Defesa do Consumidor (Lei nº 8.078/90) prevê, no seu artigo 49, que é possível que o comprador (adquirente) desista, no prazo de 7 dias a contar do recebimento do produto, sempre que ocorrer fora do estabelecimento comercial do fornecedor.

Para tanto, basta notificar o fornecedor, da forma que lhe convier, e requerer a devolução imediata e integral do que pagou, não sendo preciso esclarecer o motivo da desistência nessa hipótese.

E mais ainda: o consumidor não deve suportar nenhum ônus ao exercer o direito de arrependimento.

Por vezes, se isto acontecer, o dono do DropShipping precisa ressarcir o comprador, e negociar uma forma como irá receber isto do fornecedor no exterior.

Não posso confirmar qual é o percentual em que isto irá acontecer, mas o seu modelo de negócio precisa prever este tipo de situação, principalmente se houver taxação na importação, o que pode gerar insatisfação para quem está comprando.

AS REGRAS ADMINISTRATIVAS E ADUANEIRAS NA IMPORTAÇÃO

Mesmo que haja informações claras e objetivas no site, ainda há regras específicas na liberação alfandegárias, que chamamos de Regras Administrativas na Importação.

E o que são estas regras?

São situações em que são exigidos uma certificação adicional do Inmetro, ou um registro na Anvisa, ou a obrigação de possuir um cadastro no Ministério do Exército, ou mesmo a proibição.

Por analogia, coisas simples como um brinquedo, um patinete, um fone bluetooth, um perfume ou coldre para pistola, são produtos que requerem tratamento diferenciado na hora da liberação.

O LOCAL DE LIBERAÇÃO ALFANDEGÁRIA

Raramente a mercadoria nunca será enviada para a Alfândega mais próxima do comprador, e ele só acompanhará pelo tracking dos correios ou empresa de courrier.  E quando aparecer que a mercadoria está retida, certamente irá gerar um descontentamento.

E em meus anos de experiência, quando isto acontece, a dor de cabeça é certa. 

Inclusive, quando alguém me escreve dizendo que tem uma carga parada nos Correios, eu já sei que a solução é improvável, porque nenhuma das obrigações administrativas foram cumpridas, e o melhor é devolver o produto e requerer o reembolso.

Do mesmo modo, há situações que a própria Receita Federal já faz isto, e quando a notificação chega, a situação já foi consumada.

O CANTO DA SEREIA NO DROPSHIPPING NA IMPORTAÇÃO

As sereias representam na cultura contemporânea o sexo e a sensualidade. Na importação, eu utilizo a expressão “canto da sereia” para aquelas situações em que há com grande poder de atração, em que as pessoas aceitam sem qualquer resistência.

Quanto se fala em DropShipping na Importação, destacam-se que este é um excelente formato de negócios para quem deseja vender na internet, em que o empresário não precisa gerenciar um estoque próprio, e que fica responsável apenas pelo marketing digital e divulgação, e a logística de entrega será por alguém experiente, lá do outro lado do mundo.

COMO RESISTIR A ESTA TENTAÇÃO?

E tem mais, estes mesmos ´segredos mirabolantes´ indicam produtos de ramos altamente lucrativos, como camisas de marca, relógios, sapatos e bolsas de luxo, maquiagem, perfumes, artigos para bebês, brinquedos, suplementos alimentares e instrumentos musicais.

Mas eles não te falam que 100% destes produtos tem exigências administrativas, como as que citei, e que a Receita Federal já conhece os mecanismos de importação, e certamente sua carga ficará retida.

Ou seja, eles apenas te mostram as operações que não foram fiscalizadas ou taxadas, mas não falam daquelas que tiveram problemas, e que não foram liberadas.

VENDENDO UM CURSO OU MENTORIA SOBRE O ASSUNTO

Muitos dos que propagam o ´excelente negócio´ chamado DropShipping na Importação, querem te vender um curso ou uma mentoria.  E quando se vai conhecer o programa, já começam a falar em ´mascarar IP´ para que não se descubra de onde está acontecendo a venda, ou que usem redirects.

Empresas de redirecionamento são as que prestam o serviço de redirecionamento de encomendas, e que estão instaladas no exterior, atuando como intermediárias entre o consumidor e a loja internacional. Estas empresas não são ilegais, mas eu desconfio quando a sua operação precisa fazer um pit stop em algum lugar no mundo, para depois seguir para o Brasil.

Voltando ao Canto da Sereia, eu desconfio destas técnicas mirabolantes que vendem por aí, sem falar dos principais problemas que já abordamos aqui:  Liberação Alfandegária, Obrigações Cambiais, Obrigações Tributárias e Direito de Desistência do Consumidor.

Sem elas, o seu modelo de negócio estará furado, e o que era um excelente negócio, logo pode se transformar em uma enorme dor de cabeça.

E QUAIS SÃO AS VANTAGENS DO DROPSHIPPING NA IMPORTAÇÃO?

Eu deixei este tópico por último, porque você precisava conhecer como a coisa funciona e quais são os riscos (que não são poucos), para decidir se ainda pode levar adiante o seu modelo de negócio.

As possíveis vantagens:

  1. Você não vai precisar gerenciar estoque físico no Brasil;
  2. Vai te sobrar tempo para atuar no Marketing Digital;
  3. Você vai se concentrar no atendimento ao seu cliente;
  4. Variedade de produtos;
  5. Acesso à novos mix com muita rapidez;
  6. Baixo custo para se começar.

VALE A PENA INVESTIR NO DROPSHIPPING NA IMPORTAÇÃO

Não posso negar que estas 6 vantagens são relevantes, e que por si só já seria o suficiente para empreender. Porém, as desvantagens são maiores, e quando se pega os pontos negativos x pontos positivos, eu declino desta modalidade de negócio.

Eu nunca recomendei este negócio para ninguém, por conhecer muito bem os problemas aduaneiros, cambiais e tributários de uma importação.

No meu dia a dia, eu tenho mais de 40% do meu negócio em operações com importadores MEI.

E boa parte delas desistiu do DropShipping na Importação por já ter passado por algum tipo de problema (muitos dos que citei acima) e sentiram na pele, que isto não é um modelo de negócio duradouro, seguro e rentável.

São empresas que estão fazendo a sua primeira importação empresarial, de forma direta, mas que estão tendo a oportunidade de comprar no exterior e vender com lucratividade no Mercado Livre.

O Brasil é campeão em procedimentos burocráticos, normas sem sentido, e multas de todos os jeitos, que o iniciante na importação precisa ficar atento.

Questões como tratamento administrativo, carga tributária e procedimentos alfandegários estão entre os itens que mais exigem do interessado, sobretudo se ele for novato.

E ao montar um negócio de DropShipping na Importação, sem saber quais os possíveis problemas que poderá ter, é uma ação de alto risco, e que precisa ser muito bem pensado.

Ao invés de montar um DropShipping na Importação, porque não fazer uma operação empresarial, dentro da legalidade, com segurança e lucratividade?

Nós tiramos todos os obstáculos da sua frente, para se concentrar apenas no mercado e nos clientes.

Me envie um direct no Instagram que conversamos mais sobre o assunto (@comexblog).

UM CONVITE ESPECIAL PARA VOCÊ

Se você quiser acompanhar os bastidores da importação, verificando como as operações acontecem na prática, sem tarja preta, sem esconder nenhum procedimento, e com isso se tornar uma autoridade no seu ramo, eu te convido a me acompanhar no Instagram.

Eu faço postagens em que mostro os segredos dos nossos bastidores revelados na sua timeline. É conteúdo de mentoria, só que de graça. Basta clicar neste link e me seguir. Te espero lá 📍

Carlos Araújo

Sou um entusiasta pelo comércio exterior e tenho como missão simplificar estas operações para as empresas, reformulando processos e etapas, tornando-os mais eficientes e harmonizados, para reduzir o tempo e os custos nas importações brasileiras.

Deixar comentário